on 1 de outubro de 2013

José Manuel Marques, o Maestro da Banda de música da SFV, vai dirigir uma das mais importantes e porventura uma das mais conhecidas obras do génio Mozart produzida em pleno século XVII, a "Flauta Mágica".
O vizelense, que vai dirigir esta récita de ópera, falou ao Plano Claro sobre este feito que irá desenvolver no próximo dia 11 de outubro, pelas 21h00, na Casa das Artes - Famalicão - Grande Auditório. "Será algo marcante, pois julgo tratar-se da primeira vez que um Vizelense vai dirigir uma Ópera deste calibre, trabalhando com uma orquestra sinfónica de grande nível, cantores líricos e actores de imensa qualidade, bem como uma equipa cénica e técnica de altíssimo nível, acompanhada e supervisionada por alguns dos melhores professores/executantes do país. A encenação é obra de um dos grandes ícons da encenação mundial, Peter Konwitschny", referiu José Manuel Marques. O maestro, que lamenta não ter em Vizela uma sala digna e com condições para este tipo de eventos, comenta ainda com a emoção e orgulho por ser um dos eleitos para esta enorme peça, que "seria para mim uma alegria e uma honra poder ver a sala composta pelas gentes de Vizela".

Mas como surgiu a oportunidade de dirigir uma das maiores peças que está a percorrer Portugal?

A oportunidade surge da Pós-Graduação em Ópera e Estudos Músico-Teatrais da Escola Superior de Música, artes e espetáculo (ESMAE) que apenas abriu exclusivamente para 4 maestros, e José Manuel Marques foi um dos eleitos para esse restrito grupo músicos. Assim, e como referem os críticos teatrais a peça renasce sobre as mãos de Peter Konwitschny, um dos mais importantes e polémicos encenadores do mundo da ópera da atualidade. Uma peça a não perder e que contará com o cunho de um vizelense.

Veja ainda a notícia nacional sobre a peça!

Comprar bilhetes aqui




DURAÇÃO
180 minutos
PROMOTOR
Município de Vila Nova de Famalicão

A Flauta Mágica “Ensaio Sobre a Vida”
Ópera
Dia 11 - Sexta-feira - 21:00
Grande Auditório
Entrada: 5 euros / Cartão Quadrilátero Cultural: 2,5 euros
M/12 anos
Duração: 180 minutos (com intervalo)


Todos sabemos: “A Flauta Mágica” foi composta por Mozart, o divino.
Mas: não o deixou ao abandono a sociedade vienense ligada à Ópera?
Todos sabemos: este foi o homem que morreu em 1791, aos 36 anos de idade.
Mas: como nos pode falar um morto? Falar-nos a nós, que estamos vivos?
Todos sabemos: “A Flauta Mágica” é uma obra maravilhosa, com maravilhosa música, maravilhosa trama e maravilhosos figurinos.
Mas: duas pessoas querem-se suicidar. Isso é maravilhoso?
Todos sabemos: na “A Flauta Mágica” ganha o bom – o homem. O mau é aniquilado – a mulher.
Mas: a ditadura do bom não é também uma ditadura?


Ópera de Wolfgang Amadeus Mozart
Encenação de Peter Konwitschny
Tradução de Vasco Negreiros
Ópera Estúdio ESMAE
Orquestra Sinfónica ESMAE

(um exemplo de uma das encenações da Flauta Mágica):
 

A Flauta Mágica - ensaio sobre a vida
W. A. Mozart

Nesta produção, a famosa ópera de Mozart, “A Flauta Mágica”, é interpretada pelo Ópera Estúdio da ESMAE e pela Orquestra Sinfónica da ESMAE, e encenada por Peter Konwitschny.
“A Flauta Mágica”, de W. A. Mozart, é o quarto e último espetáculo do ano letivo 2012/13 produzido pela Pós-Graduação em Ópera e Estudos Músico-Teatrais da ESMAE, um curso que veio preencher uma lacuna no panorama nacional na área da formação especializada em ópera nas suas diversas vertentes. Para esta produção, a ESMAE - Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo convidou um dos mais importantes e polémicos encenadores do mundo da ópera da atualidade, Peter Konwitschny, que através desta encenação faz renascer “A Flauta Mágica” como nunca a havíamos visto anteriormente, uma história do nosso tempo: “o nosso mundo, nas suas aflições e fraturas”.