on 26 de novembro de 2013



O Moreirense não conseguiu mais do que um empate, a um golo, na deslocação a Matosinhos, num jogo de sentido único em que voltou a desperdiçar oportunidades de golo suficientes para vencer com tranquilidade. O Leixões aproveitou um erro, a três minutos do intervalo, para se adiantar, por Moreira, criando até final apenas mais uma situação de perigo, que Carlos resolveu. O Moreirense, com seis baixas importantes, controlou sempre, mas falhou na finalização, acabando por evitar males maiores num excelente cabeceamento de André Simões. Com 32 pontos, depois de três empates consecutivos, a liderança do campeonato ficou entregue ao Portimonense que venceu o Covilhã por 2-1 e somou o 33º ponto. Com possibilidades de ultrapassar o Moreirense está ainda o Penafiel (30 pontos) que ainda tem um jogo em atraso.



LEIXÕES, 1 - MOREIRENSE, 1

Estádio do Mar, em Matosinhos
Árbitro: Cosme Machado (Braga)

LEIXÕES - Jorge Batista; Oto'o, Nuno Silva, Materazzi e João Pedro; Anderson, Cadinha (Rui Cardoso, 65) e Ruben Saldanha (Novais, 51); Moreira, Mailo e Rui Coentrão (Fábio Zola, 80)
Suplentes: Chastre, Zé Pedro, Pedras e Pedro Tavares
Treinador: Pedro Correia

MOREIRENSE - Carlos; André Simões, Stéphane Madeira, Ricardo Nascimente e Florent; Idris, Tarcísio e Diogo Cunha (Edgar Costa, 80); Wagner (Tiago Borges, 67), Mendy e André Carvalhas (Pires, 84)
Suplentes: Ricardo Silva, Márcio Madeira, Elízio e Miguelito
Treinador: Vítor Oliveira
Ao intervalo: 1-0

Golos: 1-0, por Moreira (42) e 1-1, por André Simões (67)
Disciplina: cartão amarelo a Rui Coentrão (37) e Novais (89); André Simões (14) e Mendy (72)

VÍTOR OLIVEIRA: «Fizemos tudo... faltaram os golos»
Vítor Oliveira justificou o empate com a incapacidade de traduzir em golos as oportunidades criadas ante um adversário que aproveitou um deslize para marcar.

«É evidente que foram dois pontos perdidos, face ao que as equipas produziram. O resultado é muito bom para o Leixões e muito mau para o Moreirense. Fizemos tudo - menos golos - para levar os três pontos. Não o conseguimos, pois o Leixões aproveitou um falhanço nosso e acabou por fazer um golo, num aproveitamento a cem por cento. Nós não conseguimos materializar em golos todo o caudal ofensivo que tivemos. O jogo teve praticamente só um sentido durante os 90 minutos. Mas o futebol também é isto.»

O treinador do Moreirense apostou tudo no final, mas o adversário defendeu-se com determinação.

«Tivemos o controlo do jogo de uma forma quase absoluta. Na parte final tentámos mexer. Até então a equipa estava bem, com praticamente todos os jogadores a muito bom nível. Só nos faltava a finalização, o que tentámos com a entrada dos três avançados, para procurar o golo que nos daria a vitória e colocaria justiça no resultado. O Leixões defendeu-se sempre com muita coragem e determinação num campo muito difícil. Hoje tornámos difícil um jogo que parecia extremamente fácil. Quando não se marca sujeitamo-nos...».