on 21 de novembro de 2013


"Nós somos do tecido de que são feitos os sonhos" - W.S.

Este será porventura o editorial que escrevo com mais orgulho até à data. O Plano Claro cresceu, assumiu a sua posição na comunidade e recentemente ficou imortalizado numa obra literária que ficará seguramente vincada na história de Vizela e que ganhará maior notabilidade com o aglomerar dos anos. 
O Plano Claro caminha para o seu 3º aniversário com um leque de registos digitais que perdurarão durante muitos anos e que contribuem para o enriquecimento da história da nossa comunidade. O nº 3, o número da perfeição, poderá ser uma data especial e até de viragem mas a "prenda" chegou mesmo com a obra "Laços de Amor não Morrem" da autoria de Francisco Correia. O Plano Claro entrou pela literatura, penetrou literalmente, e faz parte de um enredo que relembra "Os Maias" de Eça de Queiroz com uns "cheirinhos" românticos de algumas histórias reais da história de Portugal. Se a comparação com Os Maias, entenda o leitor, demonstra já um enorme elogio ao trabalho do escritor vizelense, agora acrescentem toda uma realidade, do enredo, situada em Vizela, com pormenores mágicos e sonhos incríveis. Quem se lembraria de contornar a aparência avermelhada do rio Vizela com um possível acontecimento trágico de amor na Ilha dos Amores? Este é só um dos exemplos desta obra à qual fiquei rendido.

Em setembro de 2011, cruzei-me pela primeira vez com o poeta que me recebeu em sua casa. Nessa altura apenas tinha umas "luzes" de quem seria e que possuía curiosamente o mesmo nome do atual presidente da Junta de Infias. Após umas horas de conversa, que voaram, fiquei rendido à sua personalidade e o que escrevi na altura, voltava a escrever hoje. É um orgulho privar de perto com Francisco Correia e poder ter deste umas "prendas" como esta. 

... "Laços de Amor Não Morrem" ...

Se o aviso prévio, a "Nota de autor", nas páginas iniciais já desperta a curiosidade pessoal:

"Esta obra é um romance, pelo que, qualquer semelhança com a realidade é pura ficção. Ainda assim, por vezes, a verdade intromete-se no enredo, dando maior autenticidade à história.
O Plano Claro é um órgão de informação digital. Agradeço a liberdade, responsável, de dispor dele ao longo do texto."

O enredo, as personagens e a necessidade de ler para saber o que se irá passar agarra o leitor desde as primeiras linhas até ao desenlace. Sem querer entrar em grandes análises à obra e às personagens para não levantar desde já o véu, fica um apontamento dos momentos de destaque do Plano Claro que nesta história se apresenta com um órgão de comunicação e de assessoria e que possui uma repórter brasileira, a menina "Ana Tereza" que acaba por "acompanhar" o desenrolar da vida de "Louis Albert Júnior".
A entrada do Plano Claro começa assim:

Pág.88
" - Ainda estes dias esteve aí uma repórter do Plano Claro a tirar montes de fotografias - disse José de Reviralho". (...) "... depois de efetuar a ligação se viu confrontado com a gravação Alô, fala Ana Tereza, do Plano Claro, não lhe posso falar agora, mas deixe seus dados e logo lhe darei troco..."

Estavam lançados os primeiros apontamentos do Plano Claro. Já na página 95, situada a história em Tagilde, encontra-se o seguinte diálogo:

"... é a menina Ana Tereza! Olá como está?
- Oi, senhor Domingos, tou bem, obrigada, e o senhor, gostou da sua foto no Plano Claro, na reportagem que fizemos sobre a Eucaristia em honra de S. Gonçalo?
- Ó menina, gostei, mas acho que a menina fez lá uns "milagres", pois eu parecia-me mais novo!"

Pág. 116
"... Ana Tereza (...) Fornada em Comunicação e Jornalismo pelo Centro Educativo Federal do Maranhão, no Brasil, e com Mestrado em Branding no S. Francisco Institute of Branding, nos Estados Unidos..."

Pág. 121
"Ana Tereza sentiu-se surpreendida (...) quando o telefone tocou, o que ela achou uma providencial salvação da indecisão em que se encontrava. (...) - O meu chefe, ops! Meus Deus como o tempo voou..."

E se a vida da repórter do Plano Claro foi ganhando alguma importância neste primeiro romance de Francisco Correia, também o lado profissional do Plano Claro foi sendo desvendado aos poucos como os seguintes excertos retirados de um diálogo que ocorreu no hotel Águas Calmas, Relax and Spa e do Centro Cultural de Vizela - Secundino Simões:

Pág. 151
"- Sim, preciso de contactar o Plano Claro.
- Oh, sem problema, senhor MacAllister; o Plano Claro é nosso consultor de imagem e multimédia" (hotel Águas Calmas, Relax and Spa)

Pág. 208
"Filipe Bontempo (...) 
- Caro jovem, fazemos o seguinte: alguma coisa de cariz mais pessoal, já sabe como fazer para me contactar; no caso de ter a ver com alguma questão mais logística, vou-lhe pedir a atenção de tratar com o Plano Claro, com quem já estabeleci uma parceria para me ajudar com esta espiral crescente de informação, e porque eles vão ser os nossos assessores de comunicação e multimédia, no imediato. 
- Conheço muito bem, excelente escolha."
(...)
Quanto ao Centro Cultural de Vizela - Secundino Simões, emblema maior da Galeria Dr. Alfredo Pinto, estava pronto."

...

O orgulho de ter nas mãos um livro que fala sobre a história de Vizela, que lança ideias e sonhos de uma juventude atual vizelense, de conceitos e desafios da realidade local, e ainda que fala e aborda o Plano Claro é de facto enorme. O Plano Claro fica para sempre imortalizado, poderia "fechar portas" hoje, eliminar todo o conteúdo digital, mas a sua marca estaria registada numa monumental obra literária que deverá encher de orgulho toda a comunidade que gosta, que sente e que vibra com Vizela.
Ao autor, o Plano Claro endereça desde já os maiores parabéns pela publicação desta brilhante peça literária. A todos os seguidores do Plano Claro deixo o convite para conhecerem e lerem o incrível contributo de Francisco Correia à cidade termal.




Os locais onde podem encontrar, fisicamente, o romance “Laços de Amor não Morrem”, são os seguintes:

Vizela: papelaria ARIMICA (em frente à Escola Secundária)
Guimarães: livraria ORPHEU (R. Gil Vicente)
Porto: livraria UNICEPE (Pç. Carlos Alberto)
Lisboa: livraria PÓ DOS LIVROS (Av. Marquês de Tomar)

...
João Ferreira
Plano Claro - Informação Online