on 6 de dezembro de 2013

Catarina Ribeiro e Salomé Rocha partiram esta manhã para Belgrado, integradas na comitiva portuguesa que irá vestir as cores lusas no Campeonato Europa de Corta Mato.

A Sérvia prepara-se para receber no próximo domingo o Europeu de Corta-Mato, num esforço coletivo de um país que acolhe o evento desportivo mais importante de sempre. 

O Europeu de Corta-Mato visita este ano o 14º país, na sua 20ª edição, num historial que começou no ano de 1994, na histórica vila de Alnwick (Grã-Bretanha). Se numa primeira fase os crosses se disputaram na Europa mais ocidental, aos poucos a Associação Europeia de Atletismo tem apostado também nos países mais a Leste, um hábito que parece ser para ficar. Depois de Velenje (Eslovénia), em 2011 e de Budapeste (Hungria), em 2012, este ano é a vez de Belgrado (Sérvia), que além de acolher este Europeu, acolherá também a visita do presidente da IAAF, Lamine Diack, acompanhado do seu “vice” Sebastian Coe. Em 2014 a prova irá visitar Samokov (Bulgária).

E o evento foi preparado com todo o cuidado, localizado no Parque da Amizade, motivando a inscrição de muitos atletas, vindos de toda a Europa. 570 atletas inscritos de 37 países diferentes parecem ser motivo, desde já, de regozijo do organismo que tutela o atletismo europeu, promovendo maior participação dos países de Europa de Leste. Particularmente a seleção portuguesa não contribuiu para este enorme incremento de atletas, já que reduziu de 36 atletas, em 2012, para 24 atletas este ano. 

E se a Sérvia se empenhou no acolhimento desta competição, a maior de sempre em solo sérvio, acompanhou esse esforço com a convocatória de 23 atletas, num país que andou sempre a reboque de alguns bons desempenhos individuais, onde se destaca a vitória de há um ano de Amela Terzic, no escalão de Juniores femininos. Este é o motivo para que as atenções sérvias sejam este ano no escalão de Sub-23 femininos, onde a sérvia se estreará.

A corrida feminina de séniores promete ser muito competitiva, confirmadas que estão seis das sete melhores de 2012, em Budapeste. Neste lote encontra-se a portuguesa Dulce Félix que é, naturalmente, apontada como uma das favoritas a medalha, não fosse o facto de ter sido medalhada nas três últimas edições (3ª em 2010, 2ª em 2011 e 2012). Mas o outro facto bem presente é que a irlandesa Fionnuala Britton volta a marcar presença, ela que venceu as duas últimas edições. Salomé Rocha e Catarina Ribeiro fazem aqui a sua estreia no escalão principal feminino. Coletivamente não deixa de ser estranha a ausência da Holanda e da sua terceira classificada de há um ano, Adrienne Herzog, que é uma das mais participantes de sempre. E o mais interessante que pode acontecer é até na coletiva, onde Portugal dificilmente estará, com a Irlanda a depender do virtuosismo de Britton, a única resistente da equipa do ano passado, a França na máxima força e a Grã-Bretanha a aparecer com uma equipa de renovação, onde constam ex-campeãs de outros escalões, nomeadamente Gemma Steel e Stephanie Twell.

A Associação Europeia de Atletismo garantirá transmissão online, ainda que tenha garantido a passagem televisiva em 11 países. Em Portugal a transmissão acontecerá na RTP2, para as provas séniores. Este continua a ser um dos principais eventos europeus em cada ano, que motivou em 2012 5.8 milhões de telespectadores por toda a Europa.