on 5 de dezembro de 2013

Joaquim Couto aposta na descentralização do partido e no diálogo com os militantes

O candidato à Comissão Política Concelhia do PS de Santo Tirso, Joaquim Couto, tem vindo a desenvolver um conjunto de sessões de esclarecimento sobre as ideias e propostas para o partido. Em iniciativas descentralizadas, dando corpo a um dos compromissos assumidos na moção que apresenta às eleições internas que se realizam amanhã, Joaquim Couto tem realçado a necessidade “de ouvir os militantes” e criar com eles uma grande “proximidade”. “Um PS mobilizado tem de contar com todos”, enfatiza o socialista. Já amanhã, sexta-feira, pelas 20h00, a candidatura de Joaquim Couto promove um jantar de confraternização com os militantes do PS, no restaurante O Tirsense.
“Dentro do partido, as pessoas não têm de ter a mesma opinião. Sou a favor do debate de ideias e isso passa por ouvir os militantes, em períodos que não tenham apenas a ver com as eleições. Por isso, tenho apostado em fazer sessões de esclarecimento, descentralizadas, de forma a dar a conhecer as minhas propostas para o partido, mas também no sentido de recolher contributos e opiniões”, explica Joaquim Couto.
O candidato socialista à Comissão Política Concelhia acredita que esta é, também, a forma de promover a renovação do partido. “Tenho constatado – alude -, que nestas iniciativas temos tido a participação de jovens que se mostram entusiasmados com a visão que tenho apresentado para o PS e que quero implementar nos próximos quatro anos”.
Depois das sessões que decorreram em Vila das Aves, na Carreira (envolvendo as freguesias de Agrela, Água Longa, Reguenga, Refojos, Carreira, Guimarei, Monte Córdova e Lamelas), em Areias (envolvendo as freguesias de Palmeira, Sequeirô e Lama), em Santo Tirso (envolvendo as freguesias de Santa Cristina do Couto, Burgães e S. Miguel do Couto), esta semana o socialista esteve em Rebordões (envolvendo as freguesias de Roriz, S. Tomé de Negrelos e Vila das Aves) e em S. Martinho do Campo (envolvendo S. Salvador do Campo, S. Mamede de Negrelos e Vilarinho). Segundo o socialista, “a reação tem sido muito positiva”, pelo que acredita que a maior parte dos militantes se revêm nas suas propostas.
Nas várias iniciativas, Joaquim Couto tem defendido que o trabalho político é mais profícuo e mais eficaz se o presidente da Comissão Política Concelhia for também o presidente da Câmara. “É necessário, apenas, que haja a capacidade de separar as duas coisas. Veja-se o exemplo dos líderes dos dois maiores partidos. O facto de assumirem o cargo de primeiro-ministro não invalidou que continuassem em funções de liderança nos respetivos partidos”, apontou.
Recorde-se que, na semana passada, Joaquim Couto apresentou as linhas gerais da moção que apresenta às eleições de amanhã. Para além de apostar na descentralização do partido e no cumprimento dos estatutos, o socialista defende como ideias chave a criação de um gabinete autárquico e formação política, para dar apoio aos militantes e autarcas do município. Por outro lado, defende ainda uma forte ligação com a Juventude Socialista e afirmar o PS de Santo Tirso, aumentando a representatividade do concelho, nomeadamente através da inclusão de um deputado de Santo Tirso na lista à Assembleia da República.