on 23 de março de 2014

Alunos do Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela (Escola Secundária) em visita de estudo

Foi com grande expectativa que um grupo de 26 alunos do 11º ano da Escola Secundária de Caldas de Vizela partiu em direção ao aeroporto de Sá Carneiro, para uma viagem de sete dias em terras de “Sua Majestade”. Na bagagem carregavam-se muitos sonhos…
Para alguns foi mesmo o batismo de voo e, para quase todos, a primeira visita a uma das mais emblemáticas capitais da União Europeia. Acomodados num hostel funcional, decorado com cores e desenhos joviais e agradáveis à vista, daí partimos diariamente para a nossa visita cultural, mas também de lazer, explorando ao máximo (quase) todos os cantos e recantos da cidade de Londres.
Portobello Market, uma espécie de feira de velharias que tem lugar todos os sábados ao longo da Portobello Road, foi o primeiro desafio, ou seja, o mergulhar num sem número de artigos, desde chapéus a colares, malas, casacos de peles, rendas, anéis, buzinas, loiças antigas… tudo com mais ou menos história, com mais ou menos colorido. E claro está que logo ali havia espetáculo de rua, um dos muitos espontâneos e tão característicos da cidade de Londres.
Depois do mercado veio uma vertente mais cultural e chegou a hora da primeira visita aos museus, começando pelo Museu de História Natural e pelo Museu da Ciência. No mesmo dia ainda houve tempo para uma caminhada nos Kensington Gardens, ver o Memorial de Diana dar uma espreitada ao Royal Albert Hall e fazer umas brincadeiras em frente ao Albert Memorial. À noite, Picadilly Circus e os seus néones publicitários de cores vivas, o bulício da noite que se avizinha quente e longa nos casinos e pubs ali ao lado, o espetáculo de rua e, claro está, o saltinho à loja dos M&Ms.


Domingo, numa manhã mais fria e a ameaçar chuva, foi dia de assistir ao tradicional Render da Guarda frente ao Buckingham Palace, caminhada pelo Saint James´s Park, foto junto da Guarda a Cavalo, passagem em frente à famosa morada do Primeiro-ministro (nº 10 Downing Street) e comtemplar de perto as Houses of Parliament e tirar fotografias com o internacionalmente conhecido Big Ben como imagem de fundo. A caminhada levou-nos ainda a admirar a Westminster Abbey e, uns bons metros mais à frente, a Westminster Cathedral, ou seja, a “Sé Catedral” da igreja católica em Inglaterra, que foi possível visitar para admirar a beleza e riqueza do seu interior.
De tarde, foi a vez da deliciosa voltinha na já emblemática roda gigante londrina, a London Eye. Mais uma caminhada junto ao Tamisa até ao Royal Concert Hall e saltinho até Trafalgar Square.

A manhã de segunda foi inteiramente dedicada ao divertimento com a visita ao Museu de Cera, Madame Tussauds e, depois de almoço, mais uma caminhada, desta feita para apreciar as belezas do Regent’s Park. Ainda com as imagens dos simpáticos esquilos, dos cisnes ou dos patos coloridos na retina chegámos a Trafalgar Square onde a estátua de Lord Nelson domina, guardada por enormes leões de bronze. Sobranceiro à praça está a National Gallery com a sua interessante e valiosa coleção de pinturas de autores famosos.

O dia de Carnaval começou com um saltinho ao Marble Arch para espreitar o Speakers’ Corner, logo ali na esquina de Hyde Park e depois um belo passeio à beira-rio desde o The Shard, simplesmente o edifício mais alto da Europa até à emblemática Tower Bridge. Voltando uns passinhos atrás, em Borough Market, assistimos a uma tradicional Pancake Race, uma maneira de celebrar o adeus à carne e dar início à época Quaresmal, marcada por uma certa “purificação” dos desvarios e excessos anteriores. E porque “Shrove Tuesday” se comemora também com algumas cerimónias religiosas, a Southwork Cathedral (anglicana) ali ao lado do mercado estava aberta e foi possível entrar e admirar a magnífica arquitetura gótica.
De tarde, dando seguimento à caminhada junto ao Tamisa, passámos em frente ao “The Globe Theatre”, uma reconstrução do teatro original de Shakespeare e continuámos em direção à Tate Modern. Alguns quadros de Picasso, de Monet, um Vieira da Silva e muitas outras obras modernas que por vezes nos deixam a sensação de que também nós somos capazes de fazer igual…À porta de saída a Millenium Bridge, que atravessámos em direção à imponente St. Paul’s Cathedral. Também aqui, e mais uma vez porque faltavam alguns minutos para o início de serviço religioso, tivemos a sorte de conseguir entrar, sem pagar, para muito rapidamente apreciar a arquitetura do interior deste templo anglicano, sede do Bispo de Londres e onde o Príncipe Carlos casou com a famosa princesa Diana. A cúpula é simplesmente impressionante nos seus 85 metros de altura e tão só a segunda mais alta do mundo.


No regresso ao hostel, uma breve passagem pelo enorme mercado de Candem Town, impressionante pelo tamanho e tipo de artigos em exposição.
Mas o dia não terminou sem uma incursão noturna por Picadilly Circus e Soho, o West End londrino e local de bares, sex shops, casas de espetáculos, etc
No dia seguinte, foi a vez de admirar e apreciar a beleza exterior do enorme castelo onde se encontram guardadas as joias da coroa, Tower of London. O passeio a pé pela Tower Bridge permitiu captar outros ângulos desta imponente edificação, bem como sentir a emoção de atravessar a ponte levadiça mais famosa e conhecida em todo o mundo. O reconfortar do estômago para a etapa seguinte aconteceu em Candem Town, onde houve tempo suficiente para explorar algumas das pequenas maravilhas à venda nas muitíssimas tendas de comerciantes de quase outras tantas nacionalidades.
De tarde partimos em direção à nossa última visita cultural, desta feita ao British Museum e à suas riquíssimas e variadas coleções, provenientes dos quatro cantos do mundo. Por momentos parece termos a sensação que o Egito se mudou para Londres, dada a enorme quantidade de objetos, frisos, esculturas, múmias, etc que podemos observar. Mas, logo de seguida e de modo não menos impressionante, entramos na Grécia Antiga, na China ou no Japão…
No final, estafados mas felizes, Oxford Street recebeu-nos de portas abertas para a recolha final de todas as prendas e recordações a incluir na bagagem. Um sem número de lojas famosas fez as delícias de todos, ora visitando para poder dizer que esteve lá, ora entrando para comprar aquela prenda que ainda faltava arranjar.

No último dia e já com o regresso a casa em mente, foi o dia das surpresas, primeiro para “os meninos” com a visita ao exterior do Stanford Bridge Stadium e alguns momentos para “perder a cabeça” na loja do Chelsea FC, depois para “as meninas” alimentarem sonhos de elegância nas lojas top do famoso Harrods.