on 18 de março de 2014


COMUNICADO

1. Veio recentemente a público a confirmação da saída do AvePark – Parque de Ciência e Tecnologia, da empresa multinacional Farfetch, a maior empregadora do AvePark. A Farfetch gere o sítio de internet www.farfetch.com, plataforma líder na venda online de marcas de luxo no setor do vestuário.
Entre as razões apontadas para a decisão de saída estão os “fracos acessos” e a circunstância de o AvePark não ser “atrativo para clientes”

2. O PSD lamenta profundamente que Guimarães possa ter perdido uma empresa referência no setor do vestuário, uma empresa notável, um negócio em ampla projeção e com assinalável cobertura mediática, e sobretudo, uma empresa com cerca de 200 trabalhadores, quase todos jovens, e que, como ainda recentemente se pôde ver em reportagem do canal de televisão SIC a esta empresa, mantém intenção de contratar sem limite de número.

3. Lamentamos que o AvePark possa ter perdido o seu maior empregador e aquela que vinha sendo a sua empresa mais notável, não desconsiderando naturalmente as demais empresas e negócios ali instalados.

4. O PSD-Guimarães condena o espetáculo mediático em que se transformou a Câmara de Guimarães, muito preocupada em parecer ser uma coisa que não é, pois enquanto continuamos a ver municípios vizinhos a atrair competências e investimentos-âncora, Guimarães perde uma das empresas referência do concelho, sem que se conheça uma intervenção, pela parte de quem gere o poder em Guimarães há mais de 24 anos, para impedir este resultado.

5. Não deixa de ser sem nenhuma surpresa, e com estupefação face à surpresa que revelam os responsáveis municipais, que se vê como principal argumento de saída da Farfetch do AvePark, os seus fracos acessos.
Sobretudo porque pelo menos desde 2006 que o PSD, nomeadamente através de várias intervenções daquele que é hoje o seu Presidente, André Coelho Lima, defende insistentemente, tanto na Assembleia Municipal como na Câmara Municipal, a absoluta urgência da construção de uma via rápida de ligação entre Guimarães e a vila das Taipas e o AvePark.
Sempre perante a indiferença da Câmara de Guimarães. E sempre com a Câmara de Guimarães a assumir outras prioridades para o investimento público.

6. Para além de tudo isto, como conclusão de um percurso politicamente coerente, é sabido e público que o projeto designado como «Via Vimaranes», apresentado aos Vimaranenses em pleno centro do Largo do Toural e na Junta de Freguesia de Caldelas, foi o principal projeto da Coligação “Juntos por Guimarães” no âmbito da sua candidatura nas eleições autárquicas 2013, um projeto com estudo prévio e orçamento, apresentado aos Vimaranenses como a principal obra para este mandato.

7. Pelo que se este episódio pode surpreender os muitos distraídos responsáveis pelo Município de Guimarães, não surpreende pois o PSD-Guimarães, que pelo menos desde 2006 defende a absoluta urgência desta construção, a absoluta urgência desta ligação, a absoluta urgência de aproximar Guimarães das Taipas e as Taipas de Guimarães, e a absoluta urgência, como então se dizia, de “afastar o AvePark do isolamento rodoviário a que está votado”.

8. A Câmara de Guimarães, uma vez mais, esteve desatenta. Com essa desatenção padece mais uma vez o nosso concelho e um dos principais investimentos públicos nele realizados. Assstiremos agora a um chorrilho de reações que visam apenas lançar areia para a opinião pública.
Quanto a nós, o que tristemente fica é mais uma empresa referência que abandona Guimarães. É o Município de Guimarães, através da deslocalização da sede da empresa, a perder mais uma receita fiscal não despicienda.
O que tristemente fica são mais 200 empregos perdidos num concelho já fortemente afetado pelo desemprego.


Guimarães, 17 de Março de 2014
PARTIDO SOCIAL DEMOCRATA – SECÇÃO DE GUIMARÃES