on 17 de abril de 2014




NOTA DE IMPRENSA
2014-04-16

JSD defende reforço da ligação entre a Universidade e a Cidade
Uma Universidade integrada no quotidiano de cidade e uma comunidade académica participante da sua vida social, cultural e económica são desígnios que a JSD assume como prioritários para o desenvolvimento de Guimarães. No entender desta organização juvenil, Guimarães não está a aproveitar como poderia as mais-valias resultantes de ter na sua cidade um campus de uma Universidade de excelência, principalmente a nível do envolvimento da comunidade académica na urbe. Isto foi defendido num debate com jovens vimaranenses que a JSD promoveu sobre a Universidade e a cidade.
Segundo Tiago Laranjeiro, presidente da JSD, este maior envolvimento seria um “factor fundamental para o desenvolvimento económico e social de Guimarães”, ao mesmo tempo que permitiria “maximizar o impacto do talento e capital humano e técnico que é produzido pela Universidade”.
Para alcançar este desígnio, a JSD salientou o papel que projectos como o UNITown – rede de cidades universitárias, a que Guimarães aderiu recentemente por proposta da Câmara Municipal, podem ter, ao significarem a adopção de uma agenda de envolvimento dos agentes sociais, económicos e políticos locais para fomentar as ligações entre a academia e a comunidade.

JSD recorda Universidade das Nações Unidas

A JSD reforçou as críticas que fez recentemente ao andamento de Campurbis.Segundo Tiago Laranjeiro, o anunciado campus urbano de Couros está “descaracterizado das funções para que foi inicialmente pensado”. como espaço de interligação entre inovação, tecnologia e artes, num esforço de valorização do capital humano da região, com forte ligação ao tecido empresarial.
A JSD recordou a proposta eleitoral da Coligação Juntos por Guimarães, para a instalação em Guimarães de um Instituto da Universidade das Nações Unidas, como possível solução para a revitalização de Campurbis. Esta proposta permitiria trazer para Guimarães uma instituição de referência mundial no sector das novas tecnologias e software e, se instalada em Campurbis, permitiria dar novo fôlego àquele projecto, enquanto indutor da actividade económica. Em 2010, quando a proposta foi defendida por André Coelho Lima, teve o apoio declarado de responsáveis da Universidade do Minho e da Universidade das Nações Unidas.

Ciclo de conversas “Guimarães e o Futuro”

A Universidade e a cidade foi o tema da primeira conversa do fórum “Guimarães e o Futuro”, que a JSD Guimarães está a promover para discutir temas estratégicos para o desenvolvimento do concelho e da região. Nos próximos dois meses surgirão mais duas conversas similares, sobre diferentes temas. “O nosso objectivo é discutir com os Vimaranenses, independentemente da filiação partidária, questões fundamentais para o nosso futuro colectivo, numa lógica de envolvimento e participação”, afirmou Tiago Laranjeiro.