on 17 de abril de 2014


PROJETOS MUSEOLÓGICOS DE SOUTO MOURA
E SIZA VIEIRA APROVADOS

JOAQUIM COUTO MARCA SEIS MESES DE MANDATO COM ANÚNCIO DA APROVAÇÃO DA REQUALIFICAÇÃO DO MUSEU MUNICIPAL ABADE PEDROSA E CONSTRUÇÃO DA SEDE DO MUSEU INTERNACIONAL DE ESCULTURA CONTEMPORÂNEA


A requalificação do Museu Municipal Abade Pedrosa e a construção da sede do Museu Internacional de Escultura Contemporânea (MIEC) vão arrancar no terreno. O anúncio foi feito esta terça-feira pelo presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, no dia em que assinalou seis meses de mandato. Um investimento no valor de 4,6 milhões de euros, para projetos assinados pelos conceituados arquitetos Souto Moura e Siza Vieira.

“São duas obras de extrema relevância para o município de Santo Tirso que permitirão projetar o que de melhor existe no concelho“, enalteceu Joaquim Couto, assumindo que a construção da sede do MIEC assume um relevo especial: “Na década de 90, altura em que era presidente de Câmara, nasceu o Museu Internacional de Escultura Contemporânea ao Ar Livre. Agora, vou ver este projeto finalizado com a construção da sua sede”.

A recente aprovação dos dois projetos museológicos nasce de uma recandidatura feita pela Câmara Municipal de Santo Tirso, no final do ano passado. Segundo explicou Joaquim Couto, a autarquia “foi confrontada com a necessidade de reformular o projeto, sob pena de não ver o processo aprovado”. Felizmente, acrescentou, “conseguimos apresentar uma candidatura vencedora, entre mais de uma dezena que estavam a concorrer, permitindo avançar com um importante investimento para o município”.

Uma das principais alterações no processo de candidatura prendeu-se com a opção de juntar os projetos de Souto Moura e Siza Vieira, permitindo com esta medida concentrar recursos humanos e financeiros, tornando o projeto mais intenso e atrativo para o público.

Neste momento, e após abertura de concurso público e de audição prévia, a adjudicação para as obras de construção da sede do MIEC deve decorrer até ao final do mês de abril. Após este passo, revelou o presidente da Câmara de Santo Tirso, “o processo seguirá para o Tribunal de Contas”, sendo expectável que as obras arranquem até final de junho. “Acreditamos que os dois projetos dos arquitetos Souto Moura e Siza Vieira possam estar concluídos até ao final de 2015”. 

As obras estão orçadas em 4,6 milhões de euros e foram aprovadas no âmbito do Programa Operacional Regional do Norte, cofinanciado pelo ON.2 – O Novo Norte a 85 por cento. Os restantes 15 por cento, cerca de 700 mil euros, serão financiados pela autarquia.


VOLTA A PORTUGAL EM SANTO TIRSO

Outra das novidades anunciadas esta terça-feira pelo presidente da Câmara Municipal foi o regresso da Volta a Portugal em Bicicleta a Santo Tirso, após dois anos de interregno. “Entendemos que este evento desportivo de âmbito nacional tem particular interesse para o município, dado que permite dar a conhecer ao resto do país as riquezas culturais, gastronómicas, naturais e turísticas do concelho”, justificou Joaquim Couto.

A Volta a Portugal em Bicicleta realiza-se, este ano, entre 30 de julho e 10 de agosto. O Monte de Nossa Senhora da Assunção será o ponto de chegada de uma das etapas da prova nacional. Para o autarca, não restam dúvidas de que “um evento desta natureza acaba por proporcionar também o desenvolvimento económico do concelho de Santo Tirso, designadamente o comércio local, com a grande afluência de pessoas não residente no concelho”.

Exatamente a proposta de protocolo de colaboração entre o Município e a entidade organizadora da Volta a Portugal a Bicicleta foi esta terça-feira aprovada em reunião do executivo camarário, por unanimidade.


Ainda em jeito de balanço dos seis meses de mandato, Joaquim Couto, acompanhado pelos vereadores com pelouros – Luciano Gomes, Ana Maria Ferreira, José Pedro Machado e Alberto Costa -, recordou algumas das medidas mais importantes implementadas pelo atual executivo camarário. Entre as quais, as medidas de cariz social. “Após a tomada de posse, a nossa primeira prioridade foi responder aos casos mais emergentes do ponto de vista social. Foi nesse contexto que surgiram medidas como a criação de tarifas sociais na água e no saneamento, a redução de impostos e tarifas, o Plano Municipal de Emergência Social ou a duplicação do valor previsto para o Subsídio de Apoio ao Arrendamento Municipal”, enumerou.

No campo da Coesão Social e da Educação, Joaquim Couto destacou, num encontro promovido com os jornalistas, a criação do Programa Mimar, destinado às crianças do 1º ciclo e atualmente em funcionamento, nas férias da Páscoa. Realçando o facto de ser uma medida muito importante para as crianças e famílias do concelho, o presidente da Câmara evidenciou o facto de o número de alunos inscritos no programa ter tido um aumento significativo do período do Natal para o da Páscoa. “Acreditamos que, desta forma, estamos a dar um apoio de qualidade às famílias do concelho, permitindo que mantenham os seus filhos na escola, com atividades de qualidade”.

Outras das marcas dos primeiros seis meses de mandato do executivo liderado por Joaquim Couto tem sido a área do Turismo e da Cultura. Depois da participação em feiras internacionais, como a de Ourense e a BTL, de forma a divulgar o que de melhor se faz em Santo Tirso, o município tem promovido uma série de atividades que pretendem dinamizar a vida do concelho. “A primeira edição do Santo Tirso a Rir, as comemorações do Dia da Proteção Civil, a organização de uma mostra tecnológica na Fábrica de Santo Thyrso, a iniciativa da Poesia Livre, dedicada aos 40 anos do 25 de Abril, ou o Mercado Nazareno que vamos promover durante o próximo fim de semana são apenas alguns dos exemplos de iniciativas que pretendem mostrar a vitalidade de Santo Tirso no contexto regional e nacional”, exemplificou.

Na área desportiva, Joaquim Couto lembrou que a Câmara Municipal também tem sabido apostar em grandes eventos que não só envolvem a população local, mas também marcam a divulgação das potencialidades do concelho. Foi o caso da Corrida de S. Silvestre, este ano com a presença de Rosa Mota, ou do 1º Trail do Jesuíta a provar que Santo Tirso dispõe de condições privilegiadas para a prática da modalidade.

Em termos da organização municipal, o autarca revelou que até ao final do ano deverá estar concluído o processo de informatização dos serviços municipais. “Queremos diminuir o papel e ter uma gestão municipal mais transparente e rigorosa que sirva os interesses dos nossos munícipes”, aludiu.

Os próximos seis meses continuarão a ser de “árduo trabalho”, sendo certo que a autarquia quer trabalhar com todas as instituições da cidade: “Mantemos a abertura para dialogar com todos e de receber os mais variados contributos. Temos mantido as nossas reuniões descentralizadas, como marca de uma nova forma de fazer política em Santo Tirso”. Até agora, a Câmara Municipal já transferiu mais de um milhão de euros em apoios e subsídios para juntas de freguesias, escolas e associações do concelho.