on 15 de maio de 2014




MAIOR DISPOSITIVO MUNICIPAL DE SEMRE DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS FOI APRESENTADO NO DIA 14 DE MAIO NA PRAÇA 25 DE ABRIL

SANTO TIRSO VAI TER PATRULHAMENTO A CAVALO E DESEMPREGADOS A PREVENIR FOGOS FLORESTAIS

É o maior dispositivo de sempre ao serviço da prevenção de incêndios florestais. Pela primeira vez, o Município de Santo Tirso vai ter vigilância florestal feita por militares da GNR montados a cavalo e por desempregados inscritos no Centro de Emprego, para além de um vasto conjunto de equipamentos e de viaturas destinados à prevenção dos fogos florestais. A apresentação do Dispositivo Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios teve lugar dia 14 de maio, quarta-feira, pelas 10h30, na Praça 25 de Abril, com a presença do presidente da Câmara, Joaquim Couto, e dos meios e recursos envolvidos.

Ao abrigo de um protocolo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, a Câmara recrutou nove desempregados – o 10.º elemento é colaborador da autarquia – para reforçar o Dispositivo Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, com o objetivo de prevenir os incêndios florestais e fazer a vigilância da área florestal do concelho.

Duas equipas especializadas vão estar no terreno nos quatro meses de junho a setembro. A equipa de Defesa da Floresta Contra Incêndios, composta por cinco homens, desenvolverá ações de vigilância, primeira intervenção e rescaldo, enquanto a equipa de Silvicultura Preventiva, formada por mais cinco elementos, fará a limpeza dos terrenos. As duas equipas estarão munidas de duas viaturas, equipamentos de proteção individual e ferramentas e materiais necessários para a execução das tarefas de vigilância e limpeza, fornecidos pela Câmara de Santo Tirso.

O dispositivo municipal incluirá ainda duas equipas de intervenção permanente, com cinco homens cada, dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso e dos Bombeiros Voluntários de Vila das Aves; três equipas de combate a incêndios florestais, com cinco homens cada, duas das quais dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso e uma dos Bombeiros Voluntários Tirsense. Este ano, o dispositivo será ainda reforçado com mais duas equipas de combate a incêndios florestais, uma proveniente dos Bombeiros Voluntários de Vila das Aves e outra dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso.

Para além das equipas específicas, o dispositivo municipal conta também com outros meios, designadamente uma equipa de Sapadores Municipais, com cinco homens; uma equipa de Proteção Florestal da GNR, com um veículo de dois militares; uma equipa do comando da GNR de Santo Tirso e uma equipa da GNR de Vila das Aves, apoiadas em viaturas todo-o-terreno; duas equipas da PSP; uma equipa da Polícia Municipal; três equipas da Associação das Empresas do Setor Papeleiro e de Celulose e, por fim, uma equipa de primeira intervenção da Junta de Freguesia de Agrela. O Município de Santo Tirso fornecerá uma moto-quatro a cada uma das três corporações de bombeiros.

Para o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, “o Município está a fazer um esforço no sentido de colocar no terreno um dispositivo eficaz no que respeita à prevenção e vigilância de incêndios florestais”, por considerar que “tudo deve ser feito, a montante, com vista a mitigar os efeitos dos incêndios e, assim, preservar um bem natural”.

Joaquim Couto sublinha ainda que “o dispositivo no terreno é o maior de sempre” no Município de Santo Tirso, o que se justifica pela “importância que a Câmara dá a uma questão que pode tornar-se um problema se não forem tomadas medidas ativas de prevenção dos fogos florestais na época de maior risco, entre junho e setembro”.

Santo Tirso tem uma área florestal de 6,5 hectares, o que representa cerca de 47 por cento da área total (14 hectares). De acordo com os dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, entre 1996 e 2013, registaram-se 7844 ocorrências no concelho, responsáveis por 9,3 hectares de área ardida, à média de 520 hectares por ano. O pior ano foi o de 2005 e o segundo pior, o de 2013, com dois mil e 1300 hectares de área ardida, respetivamente.