on 16 de maio de 2014

O Presidente da Câmara Municipal de Vizela, Dinis Costa, concedeu uma entrevista no passado sábado onde aproveitou para enviar alguns "recados" e tornar público o seu "estado de alma" perante algumas situações internas da CMV, do contexto político e ainda do futuro.

Dinis Costa:
"Relativamente a esta matéria (PAEL) tinha algumas diferenças com o vereador Victor Hugo Salgado, responsável pela área financeira... são apenas diferenças de opinião. Este era mais optimista, acreditando que o PAEL poderia ser aprovado apenas com um empréstimo na ordem dos 3 milhões"

"Fiz uma reformulação total na organização da CMV e reparei que existem 2 mil munícipes que não pagavam a tarifa da recolha do lixo"

"Tenho muito orgulho na minha equipa e não sou daqueles que penso que sei tudo, reconheço as minhas limitações e por isso faço-me acompanhar de pessoas que me complementam e me ajudam a melhorar e a realizar os meus."

"Não poria o meu filho noutra Câmara para trazer o filho de outro para a Câmara de Vizela."

"E depois do que me tentaram fazer em plena campanha eleitoral, se tivesse cinco filhos punha-os todos lá, nem que fosse sem ordenado."

"Passaram-me algumas situações dos "peregrinos da desgraça" e que não eram normais. Qualquer funcionário público tem de respeitar a regra da confidencialidade e passaram-me situações muito graves"

"Caso o vereador André Castro não possa assumir pelouros a equipa ficará a mesma. Não haverá substituição"



"Dizia há dias ao dr. Bragança que não percebia como é que nenhum primeiro quer que o segundo ganhe"

"Tenho a certeza que em Vizela vou ser o primeiro a cumprir a limitação de mandatos e até ao fim"

"O candidato para a Assembleia da República não se chama João Polery, nem Dora Gaspar, nem Victor Hugo Salgado".

"Dizia o Mário Soares que "só não mudam os burros". Eu não mudo"