on 10 de junho de 2014



Alunos do 9ºano de visita a Londres, entre os dias 5 e 8 de junho.
“Viajar é letal para o preconceito, intolerância e mentes fechadas”, Mark Twain

Em seguimento do projeto humanista e internacional, os alunos do 9º ano do Colégio Vizela partiram para a capital de Inglaterra no passado dia cinco. Os habituais espaços foram explorados e as malas vieram recheadas de preciosidades: emoção, desejo de lá voltar, autoestima, maturidade, novos conhecimentos...
A escola quebra, assim, barreiras e salta para a Tower Bridge, Tower of London, Piccadilly Circus, London Eye, cruzeiro no Tamisa, Museu Tate Modern, Palácio de Buckingham, Camden Market, Madame Tussaud, Convent Garden, Big Ben... e os sorrisos, os olhares, os comentários crescem e aprende-se analisando as diferenças, os contrastes. Londres de dia, Londres à noite, por dentro, por fora...
O Colégio Vizela segue o princípio de Jean-Paul Sartre, filósofo, escritor e crítico francês do século XX: “Viajar é a melhor escola… É como um súbito distúrbio no padrão. Se eu estivesse a partir para uma viagem, eu deveria escrever notas sobre cada aspeto de mim mesmo antes de partir. Assim, no meu regresso eu poderia comparar o que eu costumava ser com o que eu passei a ser.”
É por isto mesmo que os alunos do Colégio Vizela, ao longo dos últimos anos, têm viajado por terras como Londres, Paris, Roma, Estrasburgo, Dublin, Helsínquia, Amesterdão, Madrid, Bruxelas, Osnabruck, entre outras...
E sempre nos lembramos das palavras do empreendedor de expedições marítimas e escritor brasileiro, Amyr Klink: “O homem precisa de viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa de viajar por si, com os seus olhos e os seus pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto.”

Carla Baptista