on 16 de julho de 2014

“O passado é o ponto de partida para o futuro”

Foi desta forma que André Coelho Lima iniciou o seu discurso aquando da conferência de imprensa que decorreu ontem na sede do Partido Social Democrata, em Guimarães. A sessão que marcou o 40º aniversário desta secção contou com a presença dos principais rostos que têm marcado a história do partido.

O PSD-Guimarães marcou ontem o início de um programa de comemorações, que vai levar a cabo durante o próximo ano, e que pretende celebrar os 40 anos ao serviço de Guimarães. A sessão foi marcada para o mesmo dia e hora em que, pela primeira vez, se abriram as portas da primeira sede do Partido e contou com a presença da maioria dos protagonistas da história social-democrata desta secção.


Para André Coelho Lima, actual presidente da Comissão Política, este é um partido com muita gente que “serviu e serve ainda Guimarães sem ter sequer a expectativa de servir-se dela e isto é que faz toda a diferença.” Um partido “que nasce do povo, vive para o povo e está no meio dele”, assegura.

Ao longo dos próximos 12 meses, o PSD pretende celebrar quatro décadas de dedicação ao concelho. O programa vai contemplar uma iniciativa por mês e, segundo José Couceiro da Costa, comissário das comemorações, “será diversificado de modo a dar respostas a questões de natureza políticas, económicas e sociais, mas também para acrescer competências aos militantes e simpatizantes e a proporcionar momentos de partilha e convívio.”

“Estão esgotados os tempos da política sem rigor”

Fernando Alberto foi o presidente da primeira Comissão Política Concelhia, entre 1975 e 1978. Na sua intervenção não poupou críticas à forma como agora é feita política no país, prevalecendo “os objectivos partidários sobre o respeito pelos portugueses.”
Aproveitando para referenciar momentos que partilhou com Sá Carneiro, Fernando Alberto terminou o discurso assegurando que “o país precisa de gente que o sirva, farto está de gente que dele só se serve.”