on 18 de setembro de 2014




Comunicado de Imprensa da Juventude Popular de Vizela 

A Escola de Quadros – Ideias com Futuro do CDS, que teve lugar na passada semana, início no dia 11 de Setembro, terminando no dia 14 de Setembro em Peniche teve como objetivo geral dar formação política aos membros da juventude do partido, bem como assinalar a rentrée política do CDS reunindo para o efeito militantes do CDS e da Juventude Popular. Das 150 vagas existentes para todo o país incluindo as regiões autónomas a JP de Vizela esteve representada pela Presidente da JP de Vizela, Diana Silva. 
O programa procurou organizar debates e tratar temas tendo em conta os contatos e pedidos efetuados pela Juventude Popular. No entanto, o formato da Escola permitiu um contato mais próximo e informal com os dirigentes e membros do Governo. O formato da Escola de Quadros – Ideias com Futuro do CDS consistiu, nomeadamente, em sessões políticas, em sessões de townhall e jantar-debate. 
Foram muito variados os temas que foram escolhidos pela Escola de Quadros – Ideias com Futuro do CDS, ora abordamos temas sobre políticas nacionais como a solidariedade, a segurança social e demografia, a economia e o turismo, a agricultura e o mar, o sistema fiscal, a supervisão e sistema financeiro, entre outros. Também, houve lugar para uma abordagem sobre questões de política internacional, assim como o conflito entre Israel e Palestina. 

Ao longo dos quatro dias, os 150 jovens foram distribuídos por grupos, sendo que, a Presidente da JP, Diana Silva interveio em duas sessões no decorrer dos quatro dias, na sessão de quinta-feira sobre: “Em defesa da reforma do IRS e IRC”, onde esteve presente Rui Morais e António Lobo Xavier, sendo a mesa moderada por Cecília Meireles e no último dia, na sessão sobre: “Cinco minutos para defender uma boa ideia”, onde Diana Silva foi a porta-voz do grupo, defendendo que o CDS quando enfrentado entre o Comércio Internacional e o Proteccionismo, deverá sempre optar pela defesa do Comércio Internacional, para benefício das suas populações e contra a criação de privilégios para as elites económicas já estabelecidas. Constaram como avaliadores das propostas apresentadas, Vânia Dias da Silva, Hélder Amaral e Diogo Feio. 

A Presidente da JP,
Diana Silva