on 5 de novembro de 2014




Deputada do PCP questionou o Governo

Também no Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, o Orçamento do Estado não serve o Distrito

Desconhecendo-se quais os investimentos e projectos contemplados no Orçamento do Estado no tocante ao Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia para o Distrito de Braga, a Deputada do PCP eleita pelo distrito de Braga, Carla Cruz, questionou ontem o Governo, em sede de discussão na especialidade na Assembleia da República, sobre vários problemas que afectam o distrito, nomeadamente, a intervenção na orla costeira de Esposende tendente a combater a erosão dunar, o reforço necessário e a protecção da linha de costa; a intervenção nos Rios Este e Torto em Braga e a Revisão do Plano de Ordenamento do Parque Nacional Peneda-Gerês.

Numa postura que é corrente neste Governo, depois de terem tornado os Orçamentos absolutamente opacos, designadamente ao acabarem com o PIDDAC regionalizado, visando escapar ao controlo democrático, o Governo apenas dá meias respostas.

Relativamente à intervenção na orla costeira de Esposende, por via do Secretário de Estado, o Governo respondeu parcialmente à questão, tendo-se cingido a reafirmar que a intervenção na praia de Ofir vai ser realizada até ao final do ano, mas não respondeu ao essencial, ou seja, para quando uma intervenção concertada e integrada em toda a orla costeira do Concelho de Esposende.

Sobre a Revisão do Plano de Ordenamento do Parque Nacional Peneda-Gerês, o Secretário de Estado reiterou que, no próximo ano, não será concretizada essa aspiração das populações e dos autarcas da região. Quanto à gestão própria do PNPG, a equipa ministerial recusou responder. A posição assumida sobre esta matéria é bem reveladora do que tem sido a política e as medidas do Governo no tocante ao PNPG e à importância do envolvimento das populações, ou seja, desvalorização e desprezo pela participação e envolvimento das populações na protecção do ambiente e das áreas protegidas.

A deputada comunista lembrou a urgência de uma intervenção nos rios Este e Torto, ao que o Secretário de Estado do Ambiente foi evasivo, tendo apenas dito que está prevista uma intervenção que rondará os 150 mil euros, mas não especificou se para ambos os rios ou para cada um.

Com esta audição, confirma-se a avaliação que o PCP fez do Orçamento do Estado para 2015, isto é, um Orçamento que não resolve os problemas do país e do distrito de Braga e, no caso em apreço, dos problemas do ambiente, da conservação da natureza e dos recursos hídricos.


O Gabinete de Imprensa da DORB