on 19 de fevereiro de 2015

O ex-deputado municipal e atual comentador político, Miguel Machado, dá conta da imprensa local da veracidade de alguns aspectos em torno do caso político dos pelouros de André Castro:


"É verdade ou não que o Conselho Distrital do Porto da Ordem dos Advogados (AO) negou razão aos fundamentos invocados pelo vereador André Castro? Respondo... é verdade"

"É verdade ou não que o Conselho Superior da OA negou razão aos fundamentos invocados pelo Vereador André Castro? Respondo... é verdade"

"É verdade ou não que o mesmo Conselho Superior da OA, por via de uma aclaração, insistiu em negar razão aos fundamentos invocados pelo Vereador André Castro? Respondo... é verdade"

"É verdade ou não que o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, via providência cautelar, negou totalmente a pretensão do vereador André Castro? Respondo... é verdade"

"É verdade ou não que o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, via ação principal, em 22 de janeiro de 2015, notificou as partes (Ordem advogados e vereador André Castro) informando que o Tribunal não se pronunciaria sobre o fundo e mérito da acção por considerar que o ato sujeito a impugnação não é um ato que esteja no âmbito da tutela judicial deste tribunal? Respondo... é verdade"

Perante os factos, Miguel Machado, finaliza dizendo que "não admito, pois, que direta ou indiretamente se fale, despudoradamente, em verdades/mentiras para que se confunda aquilo que é essencial. Desafio, ainda, quem se diz detentor da verdade "redonda" a contraditar todos estes factos. Pois se tal não acontecer ficará cabalmente provado que não bastará bater "no peito" várias vezes para que um facto se torne verdade".