on 18 de fevereiro de 2015

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO COMPARTICIPA VACINAS PARA CRIANÇAS

A Câmara Municipal de Santo Tirso vai comparticipar as despesas de famílias carenciadas com vacinas que, embora excluídas do Plano Nacional de Vacinação, são recomendadas pelos médicos e podem custar até 71 euros por dose. A medida, votada hoje, dia 18 de fevereiro, em reunião de Câmara extraordinária, vai implicar um investimento estimado em cerca de 100 mil euros, por ano, e conta com o apoio das farmácias do concelho.
“Trata-se de uma medida com um grande impacto social e de saúde pública. Com este apoio, ajudamos a combater a desigualdade no acesso aos cuidados de saúde, trabalhando no sentido de uma sociedade mais justa, mais coesa e, portanto, com melhor qualidade de vida”, alude o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto.
A atribuição de comparticipação em vacinação infantil destina-se a crianças nascidas a partir do dia 1 de janeiro deste ano e de acordo com o rendimento do agregado familiar. Para isso, foi estabelecida uma tabela, que prevê que o valor a pagar pelo beneficiário seja de cinco euros, no 1º escalão; 10 euros, no 2º escalão; 15 euros, no 3º escalão; e 20 euros, no 4º escalão.
A título de exemplo, no caso de uma família que se insira no 1º escalão e que adquira a Prevenar, o beneficiário pagará cinco euros por cada dose, a farmácia aderente ao projeto assumirá um encargo de cinco euros por dose e a Câmara Municipal de Santo Tirso contribuirá com 49,49 euros por dose, num total de 197,96 euros pelas quatro doses necessárias. “Estamos a falar de valores significativos e, por isso, com uma importância social inegável”, reforça Joaquim Couto, lembrando que esta medida cumpre mais um dos compromissos que foi assumido na campanha eleitoral.
No caso da Rotarix, para uma família que se integre no 3º escalão, o pagamento é de 15 euros, por dose. Cinco euros por dose são assumidos pela farmácia aderente e 51,08 euros por dose são comparticipados pela Câmara Municipal, num total de 102, 16 euros referentes às duas doses. 
Segundo Joaquim Couto, a recetividade das farmácias do Município de Santo Tirso neste projeto foi importante, na tentativa de “todos contribuírem para resolver um problema de saúde pública”. Em todos os escalões, as farmácias aderentes contribuem com um valor de cinco euros, por cada uma das vacinas adquiridas pelas famílias abrangidas pela medida.
Os candidatos a este apoio na comparticipação terão que submeter candidatura para o efeito nos serviços de Ação Social da Câmara Municipal de Santo Tirso. O processo é avaliado, com base nos requisitos impostos, nomeadamente a apresentação de documentos comprovativos da situação económica e a prescrição médica.
O Plano Nacional de Vacinação não contempla a comparticipação destas duas importantes vacinas: Prevenar e Rotateq ou Rotarix. Por isso, e apesar do estudo da Comissão de Vacinas da Sociedade de Infeciologia Pediátrica e da Sociedade Portuguesa de Pediatria indicar os benefícios da sua utilização, muitas famílias optam por não vacinar os filhos, por falta de recursos económicos. 
A vacina Prevenar é utilizada para proteger crianças desde os dois meses, até aos cinco anos, contra doenças como a meningite bacteriana, septicémia e pneumonia bacteriémica e a vacina Rotarix ou Rotateq está indicada na imunização ativa de crianças a partir das seis semanas, para a prevenção de gastroenterites devidas a infeções por rotavírus.