on 30 de janeiro de 2016

IMPLANTAÇÃO DO «PROJETO RAÍZES» EM TODO O CONCELHO DE GUIMARÃES

O «Projeto Raízes» foi um dos projetos vencedores do Orçamento Participativo 2013, tendo mesmo sido o primeiro classificado. Implantado em Moreira de Cónegos, este é um projeto da área social com o qual se pretendia dar respostas adequadas às situações que gerem maior preocupação no que respeita à necessidade de acompanhamento social. Surgiu numa altura de maiores dificuldades na sociedade portuguesa e particularmente direcionado para a população desempregada, em situações de isolamento, com situações familiares de desestruturação, numa palavra, direcionada para os nossos concidadãos que se encontrassem numa situação de maior fragilidade e maior necessidade.
O projeto encontra-se ainda em vigor e consiste na existência de um gabinete multidisciplinar com técnicos sociais das seguintes áreas profissionais e de intervenção:

 Um(a) psicólogo(a)
 Um(a) sociólogo(a) 
 Um(a) assistente social

A função destes técnicos é a de identificar todas as situações merecedoras de acompanhamento e sinalizar todas aquelas que detenham potencial de marginalidade social, acompanhando-as, amparando-as, assegurando o tratamento técnico adequado e, quando se trate de situações de maior complexidade, comunicar às entidades que deverão acompanhar.

No fundo, o que se pretendeu com a implementação deste projeto foi, inicialmente, apenas assegurar uma resposta adequada às situações de fragilidade social naquele território de forte tradição industrial.
Entretanto da implementação do «Projeto Raízes» resultou, para além do amparo adequado que assegurou aos nossos concidadãos que foram acompanhados, essencialmente, ter-se permitido a criação dum serviço social de maior proximidade na identificação, levantamento e acompanhamento das situações de marginalidade e fragilidade social.

Ora, esta virtualidade que resultou da implementação do «Projeto Raízes» é o que justifica que deva ser prestada, em nossa opinião, maior atenção a este projeto.

Por assegurar um acompanhamento in loco (isto é nas próprias residências dos cidadão a acompanhar) deste tipo de situações de maior vulnerabilidade, mas ainda por permitir aos serviços de ação social do Município ou das empresas municipais ou régie-cooperativas da área social um maior e mais eficaz acompanhamento destas situações naquela zona do concelho.
Isto é, tanto se facilita o trabalho a estas unidades de âmbito concelhio – designadamente ao nível do levantamento e correta identificação da situação de assistência social – como se assegura que os casos que tenham que ser remetidos a estas ou outras entidades estejam devidamente preparados e sejam devidamente instruídos.

Em suma, trata-se essencialmente de um serviço social de enorme proximidade, maior rapidez na resposta às carências individuais e maior eficiência no acompanhamento pessoal e na assistência social.
Importa ainda referir, pela importância, que a implementação do «Projeto Raízes» não se circunscreveu à freguesia de Moreira de Cónegos antes abarcando uma área geográfica mais alargada correspondente à Comissão Social Inter freguesias “Sul Nascente”, envolvendo, numa lógica de colaboração que se saúda, as freguesias de Conde e Gandarela, Lordelo, Guardizela e Serzedelo.
Aliás, importa referir que o «Projeto Raízes» acaba por atender e acompanhar utentes de outras freguesias fora da área desta comissão social inter freguesias, algumas das quais bem distantes, o que acaba por ser a maior demonstração da carência que existe na comunidade deste acompanhamento social de maior proximidade.
Nestes termos, submete-se à consideração do executivo municipal a aprovação de uma deliberação para que:

1) Seja adotado o «Projeto Raízes» - em vigor na freguesia de Moreira de Cónegos para toda a área da Comissão Social Inter Freguesias “Sul Nascente” - com uma extensão alargada a todo o concelho de Guimarães;

2) O alargamento do «Projeto Raízes» deve enquadrar-se numa lógica de colaboração entre freguesias, pelo que deverá ser atribuída uma área de projeto a cada área geográfica das comissões sociais inter freguesias do concelho de Guimarães, competindo a cada uma dessas comissões sociais a gestão do respetivo projeto.

Importa referir que o «Projeto Raízes» em vigor na área da Comissão Social Inter Freguesias “Sul Nascente” tem um custo anual aproximado da ordem dos € 33.000,00, pelo que, o custo estimado desta iniciativa poderá ascender a cerca de € 400.000,00.

---
PSD Guimarães