on 16 de fevereiro de 2016

CONCLUÍDA PRIMEIRA FASE DE INSTALAÇÃO

Guimarães recolheu 10 mil cigarros no EcoPontas e 900 pastilhas elásticas no espaço de um mês

Estruturas já não passam despercebidas aos vimaranenses e a quem visita Guimarães. Pastilhas elásticas serão transformadas em plásticos. Pontas de cigarro podem ser convertidas em materiais de construção ou ter uma valorização energética.
Cerca de 10 mil pontas de cigarros, equivalentes a mais de 3,5kg, e perto de 900 pastilhas elásticas, num total aproximado de 1 Kg, foram recolhidos durante o primeiro mês pelo EcoPontas e pelo Papa-Chicletes, duas novas estruturas de mobiliário urbano instaladas em Guimarães, cujo objetivo é contribuírem para a redução de chicletes e pontas de cigarro atiradas para o chão, dois dos resíduos mais encontrados nas praças e ruas da cidade.
A primeira fase de instalação das novas estruturas já terminou com a colocação de nove EcoPontas e nove Papa-Chicletes, que estão agora espalhados por vários locais da cidade, nomeadamente, Centro Histórico, Paço dos Duques de Bragança, Largo do Toural, Universidade do Minho, Plataforma das Artes e Laboratório da Paisagem, com o Papa-Chicletes também instalado em três escolas secundárias do centro da cidade: Martins Sarmento, Francisco de Holanda e Santos Simões.
A característica da colocação de um inquérito atualizado periodicamente tem permitido, igualmente, que os fumadores possam dar a sua opinião sobre os mais variados temas, desde a pertinência da existência de uma ciclovia em Guimarães ou a proibição do trânsito no Centro Histórico. «Todas as questões foram agora alteradas para criar uma motivação acrescida para a sua utilização», referiu o investigador do Laboratório da Paisagem, Nuno Silva, autor das estruturas, num trabalho de parceria entre o Município de Guimarães e a Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020.

Menos poluição e degradação do património

Desde o início de 2016, são menos os resíduos que cidadãos e turistas poderão encontrar nas praças e ruas da cidade e que serão agora alvo de um processo de valorização, com a colaboração do CVR – Centro para a Valorização de Resíduos. A escolha do processo de reciclagem está ainda em fase de testes para aquilatar o melhor procedimento a adotar.
Em relação às pastilhas elásticas, serão transformadas em materiais poliméricos (plásticos), enquanto no caso das pontas de cigarro estão ainda a decorrer testes preliminares com o objetivo de perceber qual o processo de valorização, que permitirá um melhor reaproveitamento das mesmas, sendo a valorização energética ou mesmo a sua transformação em materiais de construção algumas das soluções que poderão ser encontradas para estes resíduos.
As constantes solicitações para que novas estruturas possam ser colocadas noutros pontos do concelho numa segunda fase são a demonstração do sucesso da iniciativa promovida pelo Município de Guimarães e do Laboratório da Paisagem. Para além da mudança das questões do inquérito, outras iniciativas estão a ser preparadas para potenciar a redução dos resíduos e tornar possível a sua valorização, num projeto científico que continuará ao longo deste ano a ser realizado no Laboratório da Paisagem.