on 10 de abril de 2016


3, 4 e 5 de junho de 2016
Avenida do Senhor dos Aflitos

Nesta feira tardo-seiscentista irá reviver-se a época pós-Restauração no contexto de uma povoação rural mas muito marcada pelo movimento mercantil. A povoação do Torrão, que dará origem à Vila de Lousada, inseria-se num dos principais itinerários da Idade Moderna, a estrada que ligava a cidade do Porto à região de Basto e a Trás-os-Montes. Era o trajeto preferencial de mercadores, almocreves, tropas, correios e outros viajantes.
Perfiladas ao longo da Rua do Torrão ergueram-se estalagens, tabernas e outras instalações direcionadas para o apoio a viandantes e aos seus veículos e animais de carga – ferradores, carpinteiros, ferreiros, alquilarias.
O contexto de florescimento económico vivido após a Guerra da Restauração e a motivação régia e concelhia em restabelecer redes de abastecimento e comércio interno levaram à criação de dezenas de feiras e mercados entre os finais do século XVII e a primeira metade do século seguinte.
A povoação do Torrão não passou ao lado desta dinâmica e em 1758 a feira quinzenal tinha as suas datas fixadas e era uma das mais concorridas da região, demonstrando a sua criação antiga e completa implantação na rede de feiras e mercados da região.
Reunido pelos largos e pelas ruas, o povo concorre ao Torrão, circulando pela sinuosa e apertada rua direita, pelas travessas e pelos largos, com a motivação de abastecer as suas casas, mas, igualmente, com a excitação do reencontro de conhecidos e das novidades de outras terras. As tabernas abrem os seus balcões para a rua, os almocreves estendem as suas tendas, os artífices e os lavradores acorrem com os seus artigos e, de repente, está levantada a Feira!

Inscrições abertas, até 6 de maio de 2016, para mercadores, artesãos, artífices e tabernas.