on 20 de junho de 2016

Estamos a chegar ao verão e as temperaturas estão a subir. Por isso mesmo, o Plano Claro foi saber o que fazer junto dos Bombeiros de Vizela para evitar tantos incêndios. As informações foram obtidas junto do comando vizelense:

Como se pode evitar o “boom” de incêndios no Verão?

Este “boom” só será evitado quando a população tiver o bom senso de deixar de ter certos comportamentos negligentes para com a nossa floresta.

Nos últimos anos, tem havido um aumento ou diminuição dos incêndios?

Em relação a esta pergunta a resposta é sempre um pouco complexa, porque um dos fatores importantes para a ocorrência de incêndios florestais são as condições atmosféricas. Como o tempo não tem estado certo é , um pouco irrealista dizer se tem aumentado ou diminuído.

O que se deve ter em atenção e o que se deve fazer?

A menos de 15 dias de entrarmos na, considerada, época mais crítica de incêndios florestais (01 de Julho a 30 de Setembro), onde o DECIF (Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais) é reforçado convém relembrar alguns cuidados a ter, para protegermos a nossa floresta e, também para prevenirmos prejuízos aos nossos bens materiais.




•Limpar uma faixa de largura de 50 m à volta dos edifícios. 
• Remover os ramos e a folhagem resultante do abate e da poda das árvores.
• Antes de realizar uma fogueira, proceda à limpeza do local. 
• Não queime os lixos no interior da floresta nem numa distância inferior a 100 metros do seu limite.
• Efetuar as queimas e fogueiras pela manhã ou ao fim da tarde, em dias húmidos e sem vento, mas apenas fora do período crítico, definido anualmente por legislação governamental (julho a setembro).
• Durante as queimas e fogueiras ter material sempre à mão que permita a extinção de qualquer foco de incêndio (como, enxadas, ramos verdes, água…).
• Certificar-se que após as queimas, a fogueira ficou bem apagada. 
• Não lançar pontas de cigarro quando circular em automóvel.
• Mantenha fora do alcance das crianças, quaisquer meios que possibilitem o atear do fogo.
• Nunca deixe as crianças sozinhas em casa. Não as deixe brincar com os fósforos ou isqueiros.
• Guarde em lugar seguro e isolado a lenha, o gasóleo e outros produtos inflamáveis. 



ATENÇÃO! 


Em todos os espaços rurais, durante o período crítico (a definir anualmente por portaria, normalmente de julho a setembro) não é permitido: 

• Queima de sobrantes e realização de fogueiras. 

• Realizar fogueiras para recreio ou lazer e para confeção de alimentos, bem como utilizar equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confeção de alimentos. 

• Queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração. 

• Foguetes e outras formas de fogo

• O lançamento de foguetes, de balões com mecha acesa e qualquer tipo de fogo de artifício ou outros artefactos pirotécnicos, exceto quando não produzam recaída incandescente. 

• Ações de fumigação ou desinfestação, salvo se equipados com dispositivo de retenção de faúlhas.

• Fumar ou fazer lume de qualquer tipo no interior de áreas florestais ou nas vias que as delimitam ou atravessam, exceto contrafogos decorrentes de ações de combate aos incêndios florestais. 

As infrações resultantes da realização de queima de sobrantes, realização de fogueiras, lançamento de foguetes e outras formas de fogo, são puníveis com uma coima mínima de 140,00€, no caso de pessoas singulares e 800€ no caso de pessoas coletivas, conforme o disposto no Decreto-Lei n.º124/2006 de 28 de junho.