on 9 de agosto de 2016

Mais de 300 especialistas mundiais vão marcar presença no Centro Cultural Vila Flor para um congresso que não se realiza em Portugal desde 2001. A candidatura minhota superou a concorrência de Paris.

Guimarães vai receber entre 28 e 30 de Setembro o congresso anual da rede mundial dos EU-BIC ("European Union Business and Innovation Centres"), que juntará na cidade minhota mais de 300 especialistas mundiais em empreendedorismo e inovação.
Com o tema "revisitar o passado, viver o presente, criar o futuro", o evento será organizado pelo BICMinho, instituição sem fins lucrativos que desde que foi criada, há 15 anos, já apoiou a criação de 230 novas empresas na região, que geraram perto de três mil empregos e em 2015 facturaram, em conjunto, 35 milhões de euros.
Esta é a segunda vez que o encontro anual destes centros europeus de inovação e negócio se realiza em Portugal, depois do Porto ter acolhido o evento em 2001. A candidatura apresentada este ano, em parceria com a Câmara Municipal de Guimarães, superou a concorrência de Paris.
Liderar através do design, a experiência do consumidor, a Indústria 4.0 e os espaços de negócios disruptivos são alguns dos temas que vão ser debatidos durante três dias no Centro Cultural Vila Flor. Além do localizado no Minho, há outros sete BIC em Portugal: no Porto, Beira Interior, Madeira, Abrantes, Sines, Coimbra e Cascais.

Indústria em destaque

Segundo o estudo anual "Inovation Scoreboard", elaborado pela Comissão Europeia e divulgado em Julho, Portugal caiu uma posição e ocupa agora o 18.º lugar no ranking europeu da inovação, surgindo na segunda metade da tabela com 28 mercados. O país é classificado como um "inovador moderado", a terceira de quatro categorias definidas na publicação.
Nuno Gomes, administrador executivo do BICMinho e director executivo da associação dos BIC portugueses, antecipa que a discussão será centrada "na indústria e nos serviços de apoio à indústria". Agendado para um concelho fortemente industrializado e exportador, o evento abordará também a utilização dos "sectores emergentes de conhecimento intensivo", da tecnologia e da criatividade como "instrumentos de regeneração e revitalização das indústrias tradicionais".
Lançado em 1984, o conceito EU-BIC surgiu para promover o desenvolvimento e a competitividade das regiões europeias através do apoio à criação de empresas e à modernização das PME existentes. Estes centros constituem actualmente a maior rede pan-europeia de empreendedorismo e inovação, envolvendo mais de 200 centros localizados em todo o mundo.


---
Jornal de Negócios