on 24 de outubro de 2016




RENOVAÇÃO DE ACORDOS

Protocolo para deteção de talentos desportivos em escolas de Guimarães com mais clubes e modalidades

Câmara Municipal renovou acordos com clubes e escolas para identificação de talentos desportivos em Guimarães. Objetivo é inovar nos processos de deteção e identificação de jovens valores.

O alargamento do número de modalidades e a introdução de novos clubes, como são os casos do Guimagym, Núcleo Atletismo das Taipas (NAT) e Clube de Ropeskipping das Taipas, constituíram as principais novidades na cerimónia de renovação de protocolos entre a Câmara Municipal de Guimarães, Centro de Deteção de Talento Desportivo (CDTD), clubes desportivos do concelho e agrupamentos de escola de Guimarães, tendo como objetivo a identificação precoce e captação de jovens talentos desportivos no concelho de Guimarães.
Os protocolos envolvem agora 15 clubes desportivos, 13 diferentes modalidades e 14 agrupamentos de escolas do 1º, 2º e 3º Ciclo, cujo perfil etário compreende alunos entre os 6 e os 14 anos. «O país desportivo será muito melhor se existir uma ligação forte entre os clubes e o meio escolar. O talento desportivo precoce encontra-se no recreio das escolas, muitas vezes desperdiçado pela falta de atenção, e se for devidamente sinalizado e apoiado, como acontece com o trabalho que o CDTD está a realizar, facilitará a sua descoberta e encaminhamento para os clubes, valorizando-os com talentos desportivos que podiam ter sido desperdiçados», disse Amadeu Portilha, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães.
O coordenador do projeto, José Fidalgo Martins, ressalvou o «papel pioneiro» do Centro de Deteção de Talento Desportivo de Guimarães, que tem por missão «ser um agente facilitador e que coloca o protagonismo na função dos clubes, dando igual importância ao papel da escola, nomeadamente da promoção da atividade física e do desporto, nos quais o jovem aluno e atleta é o centro do trabalho desenvolvido».
Em 2016, sagraram-se duas campeãs distritais em atletismo, uma atleta campeã distrital em basquetebol e respetiva chamada à seleção ABB, um atleta de andebol convocado à seleção de AAB e uma atleta com dois terceiros lugares no Campeonato Nacional de Ropeskipping. Entre 2013 e 2015, foram identificados 49 talentos, após a sinalização de 83 alunos e a observação de 74, tendo sido colocados 32 alunos, com a realização de, pelo menos, um treino no clube. No período entre o final de 2015/16 e o início do ano letivo 2016/17, foram colocados 11 alunos, depois de 38 terem sido sinalizados e 27 observados.

Cidade Europeia do Desporto

Guimarães foi a primeira cidade a ter uma estrutura municipal e eclética para a deteção de talento desportivo e respetivo reencaminhamento para os clubes. O CDTD funciona por interação e maior proximidade entre as escolas e os clubes, ao nível técnico. Através do Professor de Educação Física, é desencadeado o processo, identificando, no âmbito da sua disciplina, um aluno com potencial talento desportivo para uma ou mais modalidades desportivas, fazendo o seu acompanhamento na fase de integração do clube, registando e avaliando a sua evolução e percurso desportivo.

Num procedimento que envolve mais de 150 técnicos em “scouting”, entre professores de educação física e treinadores, a aferição das capacidades e qualidades dos alunos é realizada por um ou mais técnicos especializados. Os atletas na fase de inclusão nos clubes beneficiam de um período experimental de prática gratuita no clube (3 a 6 meses), seguro desportivo durante a fase experimental, exame e acompanhamento médico gratuito durante um ano.

O Centro de Deteção de Talento Desportivo foi considerado uma boa prática pela Secretaria de Estado do Desporto e Juventude, por detetar precocemente talentos permitindo, do ponto vista pedagógico e formativo, uma melhor ligação aluno/atleta, criando um amplo conjunto de oportunidades.