on 23 de novembro de 2016




Assembleia Geral da EUROCITIES aprova adesão de Guimarães ao Fórum do Ambiente

Boas práticas ambientais vimaranenses foram apresentadas em Milão. Cidades europeias produziram manifesto para a importância de contribuírem para a sustentabilidade mundial.

A Assembleia Geral da EUROCITIES, rede que integra as maiores cidades europeias, aprovou a adesão de Guimarães ao Fórum do Ambiente, grupo de trabalho no qual são analisadas questões relacionadas com a sustentabilidade ambiental e que representa a organização das cidades junto da Comissão Europeia em Bruxelas, entre outras instituições.
Na reunião, uma delegação de Guimarães deu a conhecer em Milão, durante a conferência anual da EUROCITIES, um conjunto de boas práticas ambientais que têm sido implementadas pela Câmara Municipal, como é o caso da Academia de Ginástica como edifício sustentável, Ecovia, Bacias de Retenção, Programa PEGADAS, projeto pioneiro de recolha de resíduos no Centro Histórico (PAYT), entre outros.
Sob o tema “Sharing Cities” (Cidades que Partilham), conceito que significa a partilha de valores através de uma economia híbrida, Guimarães apresentou às restantes cidades a importância do desenvolvimento de estratégias apoiadas na educação, sensibilização, planeamento e partilha para a implementação de um modelo de território sustentável, no caminho que está a ser percorrido para ser candidata a Capital Verde Europeia. Foi também destacada a importância da reabilitação urbana e do património cultural, bem como o título de Capital Europeia da Cultura e Cidade Europeia do Desporto.
Durante o encontro, foram discutidos os principais desafios que as cidades têm pela frente centrados essencialmente na promoção da qualidade de vida dos seus cidadãos. Deu-se destaque aos vários modelos de partilha que uma cidade pode desenvolver e apoiar, quer ao nível da mobilidade, da ação social, de parcerias públicas ou mesmo de participação cívica. A delegação vimaranense teve ainda a oportunidade de contactar com várias cidades integrantes da rede e partilhar experiência e projetos, nomeadamente Nantes, Utrecht, Leeds, Amesterdão, Oslo, Estocolmo, Ljubljana, Ghent, Milão, Florença, Istambul, Madrid, Viena, Antuérpia.
Na conferência foram também organizadas sessões paralelas, como a apresentação do Relatório Anual das Cidades Europeias 2016, produzido pelas Nações Unidades Habitat, no qual é realizada uma análise de estatística ao nível demográfico, desenvolvimento económico, integração social, eficiência de recursos, ambiente urbano e alterações climáticas, mobilidade, entre outros. As cidades ali reunidas tiveram ainda oportunidade de produzir um manifesto para a importância de contribuírem para a sustentabilidade mundial.