on 4 de novembro de 2016


PLATAFORMA AMBIENTAL NA MOBILIDADE 

Presidente da Câmara de Guimarães propõe ligar o Minho por Tramway

Domingos Bragança considera que a circulação rodoviária deve ser complementada por um comboio elétrico urbano. Em paralelo, propôs criar uma via verde única nas margens dos cursos de água que ligam as cidades minhotas. Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão encerrou conferência sobre o futuro da região.
A implementação de um Tramway, um meio de transporte que atravesse as zonas povoadas do Quadrilátero Urbano e da região minhota, em que cada uma das cidades seria responsável pela construção do seu tramo, foi uma ideia defendida pelo Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, durante a realização da conferência “O Futuro do Minho”, cuja sessão de encerramento esteve a cargo do Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza, esta sexta-feira, 04 de novembro, no Museu dos Biscaínhos, em Braga.
Durante a sua intervenção, Domingos Bragança citou como exemplo a possibilidade de criação de uma linha que ligue o centro da cidade de Guimarães a Fermentões, Ponte e Taipas, com o trajeto do tramo norte a interligar-se posteriormente com o lanço do concelho de Braga. Outro percurso ligaria a cidade de Guimarães às vilas de Pevidém, Brito e Ronfe, fazendo a conexão com Joane, no tramo respeitante ao concelho de Famalicão. «São ideias para o futuro para criar coesão territorial!», salientou Bragança no encontro promovido pelo Correio do Minho e Antena Minho, em que participaram o edil local, além dos Presidentes de Câmara de Famalicão, Barcelos e Viana do Castelo, cujo autarca demonstrou vontade em integrar o Quadrilátero, dando origem a um «futuro Pentágono».
O Presidente do Município de Guimarães propôs também a criação de um percurso ciclável e pedonal ao longo dos rios e cursos de água existentes em cada concelho, com o objetivo de gerar uma nova coesão territorial através do ambiente e da biodiversidade minhota. «Estas ligações no âmbito da mobilidade têm de ser feitas por fases! É fundamental criarmos um plano global em que cada município cumpra com a sua parte deste projeto comum. Seremos mais atrativos, se trabalharmos em conjunto a sustentabilidade ambiental e os modos suaves de mobilidade, criando percursos nas margens dos rios, ligando a Universidade, Institutos Politécnicos, Centros Tecnológicos...».



Meio de transporte mais ecológico

Afirmando que «o futuro será exigente ao nível ecológico», o Presidente da Câmara de Guimarães considera que a concretização destes projetos permitirá «qualificar o território e os recursos humanos das cidades», criando novos ecossistemas de inovação. «A nossa região tem competência, tem dinâmica empresarial, fontes de saber de referência internacional e com capacidade de produzir conhecimento», referiu Domingos Bragança, cuja opinião foi partilhada por Xoan Vázquez Mao, Secretário Geral do Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular, e por Luís Braga da Cruz. «A ideia apresentada pelo senhor Presidente não deve ser ambição! Deve ser matéria estudada!», reforçou o Presidente do Centro Português de Fundações, sustentando os argumentos da proposta de âmbito ambiental. 
O Tramway é um transporte moderno que circula numa infraestrutura de trilhos mais simples em relação a uma linha de metro, voltado principalmente para o transporte de passageiros em centros urbanos. Mais barato, este veículo possui outras grandes vantagens, entre as quais, um reduzido índice de poluição, tanto sonora como atmosférica, e um menor custo de manutenção, permitindo aos cidadãos deixar o carro em casa. Podendo garantir uma capacidade de transporte variável entre os 15 e os 35 mil passageiros por hora, o Tramway adapta-se perfeitamente ao meio urbano e paisagístico, sendo adequado para ser implementado em projetos de renovação urbana. Seguro, rápido e confortável, uma das suas características são os seus movimentos suaves. Compatível com áreas de pedestres, adapta-se muito bem ao meio urbano.