on 27 de dezembro de 2016

O jornal de negócios publicou hoje um retrato das finanças dos municípios nacionais. Tendo por base o anuário financeiro dos municípios portugueses de 2015, a partir das contas divulgdas na internet pelos municípios, e os dados relativos ao número de trabalhadores e prazo médio de pagamento segundo a DGAL, o jornalista Bruno Simões fez um resumo da situação financeira dos municípios nacionais,

"No mapa pode consultar o passivo exigível do seu município, isto é, as dívidas a pagar. Está ainda disponível o valor da colecta de IMI e IMT, bem como o prazo médio de pagamento a fornecedores. Pode também consultar o número de funcionários que trabalham na respectiva câmara municipal, e ficar a conhecer a taxa de execução da receita. Este é um indicador especialmente importante para perceber se a sua câmara empola o orçamento.
Se a taxa está perto de 100%, isso significa que as previsões dos serviços municipais estavam correctas e a autarquia amealhou praticamente tudo o que previa. Se o número ficar abaixo dos 85%, cuidado. Pode ser um caso de sobreorçamentação, vulgarmente conhecida como empolamento, para permitir a contracção de despesas. Quando a execução fica abaixo desse patamar, dispara um alerta que informa os autarcas e a Direcção-Geral das Autarquias Locais.
O mapa inclui ainda o peso do investimento realizado pelos 308 municípios, quando consideradas as despesas totais comprometidas. Quanto às despesas com pessoal, o mapa informa qual o valor absoluto que foi gasto no ano passado e o respectivo peso nas despesas totais do município.

Veja aqui todos os dados