on 7 de janeiro de 2017

PRAZO DE EXECUÇÃO É DE SEIS MESES
Ecovia de Guimarães começa a ser construída na primavera deste ano

Município tem um Plano de Ação de Promoção da Bicicleta, cujo objetivo é «sensibilizar, educar e formar», introduzindo e normalizando a utilização deste meio de transporte em Guimarães. No futuro, concelho ficará ligado através de percursos cicláveis.
A Câmara Municipal de Guimarães pretende iniciar, durante o mês de março de 2017, a construção da primeira fase da Ecovia do concelho, com uma extensão de 9,3 quilómetros, onde se inclui a criação de ligações ao centro da cidade, depois de ter sido aprovada a adjudicação da realização da obra no valor de 2.361.921,28 euros, ao qual acresce a taxa de IVA em vigor, montante que determina a concessão do visto do Tribunal de Contas para que a empreitada possa começar no terreno.
A via ciclável unirá o percurso existente da Pista de Cicloturismo de Mesão Frio ao Parque da Cidade de Guimarães e à Veiga de Creixomil, já incluindo os trajetos a efetuar na encosta de Mesão Frio, na antiga linha de caminho de ferro que liga à rotunda da Avenida D. João IV, na Rua das Eiras, no Caminho Real ao viaduto da Variante de Creixomil, entre outros.
Realizada a primeira fase, que tem um prazo de execução de 180 dias, o Município de Guimarães efetuará posteriormente a segunda fase do projeto que ligará as vilas de Brito, Ronfe, Pevidém e Caldas das Taipas, construindo-se deste modo, até 2020, a estrutura fundamental da rede concelhia de percursos cicláveis. O objetivo desta intervenção é generalizar o uso da bicicleta na vida quotidiana dos vimaranenses, transformando-a num meio de transporte e não somente num veículo de lazer ou de desporto.

Coesão territorial e mobilidade urbana
«Esta Ecovia terá uma função pedagógica e precursora do que defendo para o futuro de Guimarães. Permitirá criar ligações entre as freguesias, as vilas e a cidade de Guimarães, aproximando os cidadãos e promovendo a coesão territorial. Ao longo do seu percurso, serão disponibilizados pontos de informação, com dados úteis para os seus utilizadores», especificou Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal, afirmando que, em determinadas zonas, o piso terá materiais inovadores que vão produzir energia para iluminar a Ecovia.
«Se perdermos a capacidade de sonhar, perdemos a ambição e a possibilidade de abrir novos caminhos! Queremos construir um território ambientalmente de excelência, uma referência ecológica para que Guimarães seja um dos bons locais para se viver. O objetivo é aprofundar o nosso ser em detrimento do ter e esta é, igualmente, uma dimensão do que pretendemos para a nossa candidatura a Capital Verde Europeia», acrescentou o responsável pela Edilidade, referindo que a construção da Ecovia faz parte dos projetos a candidatar a apoios comunitários.