on 1 de janeiro de 2017

O Futebol Clube de Vizela comemora hoje o seu 78º aniversário. Fundado a 1 de janeiro de 1939, o FC Vizela hasteou hoje as bandeiras, visitou os cemitérios e ainda marcou presença numa eucarística comemorativa. O dia fica ainda marcado pelos treinos de preparação para o encontro no Estádio da Luz que se realiza no dia 03 janeiro às 19h15. O Benfica vs. Vizela contará para a segunda jornada da fase de grupos da Taça da Liga.
Em declarações à imprensa, Rui Quinta, treinador do Vizela, acredita que a equipa pode causar problemas na Luz, frente ao Benfica. O treinador prometeu uma equipa "a tentar incomodar o Benfica" com os regressos aos convocados de Felipe Augusto e André Pinto. João Pedro, lesionado, não fará parte das contas de Rui Quinta.

"Queremos aproveitar o grau de exigência provocado pela qualidade dos adversários na Taça da Liga para continuar a crescer como equipa", sublinhou Rui Quinta, que repetiu ter ficado satisfeito com o desempenho dos seus jogadores apesar da derrota com o Vitória de Guimarães, por 2-1, na primeira jornada do Grupo D. Recordando que "grande parte destes jogadores, há um ano, estavam na divisão inferior", o treinador do Vizela espera tê-los "motivados" na visita ao Estádio da Luz, "um dos estádios onde todos querem jogar". "Não temos de olhar para este jogo de forma diferente dos demais, mas sim valorizar o que somos como equipa e aproveitar a oportunidade para crescer", salientou.
A ausência de João Pedro, lesionado, a juntar-se às de Panin e de Felipe Martins, não constituem para Rui Quinta "argumento para nada", reiterando que a equipa "tem de potenciar aquilo que é". "A nossa postura vai ser em função daquilo que o jogo nos for dando e da nossa capacidade para se ir adaptando. Vamos tentar fazer coisas que eles não gostem muito e incomodar o Benfica. Vamos querer jogar para a baliza quando tivermos a bola", explicou.
Lembrando os Descobrimentos levados a cabo pelos portugueses, Rui Quinta recordou que Portugal deu o "mundo a conhecer a muitos, quando muitos não sabiam como sair desde retângulo", transpondo esse facto histórico para o contexto da sua equipa. "É olhando para as coisas de uma forma diferente que se atingem, por vezes, os objetivos", disse.