on 30 de janeiro de 2017

SESSÃO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA, 03 FEVEREIRO
Câmara de Guimarães apresenta projeto do Centro Cívico das Taipas

Taipenses são convidados a conhecer proposta base, que foi objeto de um debate público com o objetivo de recolher diferentes contributos, tornando-o o mais abrangente possível com a envolvência da população e das entidades da vila.
A Câmara Municipal de Guimarães vai apresentar na próxima sexta-feira, 03 de fevereiro, às 21 horas, o projeto de requalificação do Centro Cívico das Taipas. A sessão pública decorrerá no Centro Pastoral das Taipas e vai contar com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, e da equipa do Centro de Estudos da Escola de Arquitetura da Universidade do Minho, que elaborou o projeto.
A proposta inicial contempla a criação de um novo largo entre o Centro Comercial Passerelle e a zona dos atuais semáforos, no cruzamento da rua Professor Manuel José Pereira com o início da rua Comandante Carvalho Crato. Esta nova centralidade devolve o espaço público aos cidadãos, surgindo ali novas esplanadas e uma diferente arborização, e elimina neste local o acesso rodoviário, com os automobilistas a terem de recorrer à Circular, se eventualmente pretenderem seguir a direção de Braga, estando na Avenida da República.
A transformação proposta no centro da vila preserva, contudo, elementos históricos das Taipas, como é o caso da capela de Santo António, demolida em 1917, mas cuja simbologia ficará perpetuada no seu local por um escadario, contíguo ao novo largo público. O programa base prevê, também, que a qualidade do novo Centro Cívico da Vila das Taipas deva recuperar a importância do recurso hídrico preexistente, nomeadamente o rio Ave e a Ribeira da Canhota, assim como o seu papel estruturante na caracterização do espaço.
A requalificação do centro das Taipas apresenta um conjunto de premissas relativas à mobilidade pedonal, à sensibilidade ecológica e ao património. O programa proposto define um centro composto pela configuração de novos espaços com vocação própria que promovem um conjunto de percursos e articulam novas relações entre os equipamentos de proximidade, localizados no próprio centro (Junta de Freguesia, Centro Pastoral, Igreja Matriz, antigo Mercado, Banhos Novos e Velhos) ou numa área de influência mais alargada (Escola Secundária, Feira, Parque das Taipas, rio Ave...).