on 26 de outubro de 2017


Mais de 50% dos municípios ECOXXI 2017 vão participar na “Rota pela Floresta”

Foram 27 os municípios presentes na Cerimónia do Programa ECOXXI 2017, que demonstraram interesse em participar na “Rota pela Floresta”, um desafio que visa por em prática o exercício da cidadania alertando para os direitos, deveres e responsabilidades de cada um dos intervenientes, em matéria de ordenamento e gestão florestal.

Mais de 90% dos municípios presentes na Cerimónia demonstraram vontade em aderir ao Projeto “Rota pela Floresta”. Os municípios que irão participar nesta atividade já a partir de novembro são: Águeda, Albufeira, Alfândega da Fé, Alvaiázere, Amadora, Anadia, Arganil, Estarreja, Funchal, Fundão, Góis, Guimarães, Leiria, Lourinhã, Lousã, Macedo de Cavaleiros, Mafra, Maia, Mealhada, Oliveira do Hospital, Pombal, Santo Tirso, Tarouca, Torres Vedras, Valongo, Viana do Castelo e Vila Nova de Gaia.
A “Rota pela Floresta” pretende constituir-se numa ação catalisadora de sinergias entre as escolas e as suas respetivas autarquias (municípios e freguesias) com o principal objetivo de agir pela proteção dos ecossistemas existentes no município, com particular enfoque na floresta.

O que é a Rota pela Floresta
O “Rota pela Floresta” pretende constituir‐se numa ação catalisadora de sinergias entre as escolas e as suas respetivas autarquias (municípios e freguesias) com o principal objetivo de agir pela proteção dos ecossistemas existentes no município, com particular enfoque na floresta.
Estrutura‐se em torno de uma atividade que visa ainda promover a mobilidade sustentável, e por em prática o exercício da cidadania alertando para os direitos, deveres e responsabilidades de cada um dos intervenientes.
Integra‐se no projeto “Do CO2 ao O2”.

Como operacionalizar a Rota
A Organização da Rota à escala local deverá ser da responsabilidade do município, recomendando‐se igualmente o envolvimento das freguesias.
O município deverá, em articulação com as suas escolas, calendarizar e traçar o percurso, tendo em atenção: as distâncias a percorrer entre escolas, a idade dos alunos, os meios de deslocação e os percursos mais seguros.
Recomenda‐se sempre que possível, a passagem pelos espaços florestais do concelho.
Sugere‐se que, sempre que possível, a Rota realize uma paragem para uma atividade de intervenção nos espaços florestais como: limpeza, erradicação de invasoras, plantação ou outra considerada adequada.
Porque se pretende também incentivar uma mobilidade mais segura e sustentável, a Rota deve promover uma pegada carbónica o mais reduzida possível, privilegiando‐se os percursos pedestres, em bicicleta ou outros meios equivalentes.
Quando realizar Poderá ser realizada em qualquer altura do ano letivo 2017/18.
Recomenda‐se que se considere a possibilidade de organização durante o mês de novembro associando desta forma a iniciativa à melhor época para plantação,e ainda a dias como aos Global Action Days – iniciativa da FEE internacional (6 a 12 de novembro) ou o Dia da Floresta Autóctone (23 de novembro).

Os testemunhos
Os testemunhos pretendem motivar sugestões, registar opiniões e simbolizar compromissos relativamente à proteção e gestão sustentável dos ecossistemas em geral e da floresta em particular.
Circularão entre as escolas envolvidas devendo ser entregues pela última escola ao Presidente da Câmara Municipal, ou
quem o represente.
Serão constituídos por uma pá, uma bandeira Eco‐Escolas, um cadernos de sugestões e um pergaminho de compromissos que deverá também ser preenchido pelos responsáveis autárquicos.
Os materiais dos testemunhos serão fornecidos pela ABAE.

Como participar
Podem participar todos os municípios que se comprometam em organizar, em conjunto com a sua comunidade educativa,
um circuito entre as escolas do concelho, incluindo as Eco‐Escolas.
As escolas a envolver podem ser de qualquer grau de ensino: do jardim de infância ao ensino superior.
Os municípios que pretendam aderir à Rota deverão manifestar essa intenção através de envio de email para rotapelafloresta@abae.pt´ até 30/10/2017