on 16 de outubro de 2017




Acho que estamos em 2017. Neste final de tarde de segunda feira, em pleno outono, ainda paira no ar uma réstia de cheiro a incêndios. Para trás ficaram combates cheios de labaredas e o “Estado de Graça” chegou à imprensa, quem diria.

Acho que estamos em 2017. Neste final de tarde de segunda feira volta o projecto do Plano Claro depois de um interregno para responsabilidades cívicas. Para trás ficaram crimes, situações muito negativas e o reaparecimento de um senhor. 

Acho que estamos em 2017. O poeta Delmore Schwartz escreveu na década de alguns ilustres que “Nos sonhos começam as responsabilidades». E são nesses sonhos que o Plano Claro volta ao ativo na busca de uma sociedade informada.

João Ferreira